quarta-feira, dezembro 29, 2010

Feliz 2011, o Futuro ja Começou!

Em 2010

  • Me apaixonei como nunca
  • Engordei como Sempre
  • Felipão, Valdívia e Kléber voltaram ao Palmeiras
  • Não adiantou merda nenhuma
  • O Brasil perdeu a copa
  • A Espanha não
  • O Dunga se fodeu
  • O Maradona também
  • Comecei a gostar de algumas coisas: Gatos, Salada, Vinho Branco, Aceto Balsâmico, Patê de Salmão 
  • Continuo odiando outras: Hebe, Roberto Carlos, Segunda Feira, Corínthians, Malu Magalhães, Francisco Cuoco e Novela.
  • Fiz poucos amigos, mas bons
  • Me livrei de muita gente chata
  • Me aproximei da minha familia
  • O Rocky morreu
  • O Apolo nasceu
  • Ganhei um "filho"
  • Comprei um Xbox 360
  • Vendi um Playstation 2
  • Amadureci muito (sério, esqueçam o Xbox e o PS2)
  • E o melhor de tudo, voltei a ser um cara muito feliz!




Para 2011 eu espero:

  • Continuar me apaixonando cada dia mais pela minha mulher
  • Que o Kléber, Felipão e o Valdívia ganhem alguma coisa pra eu gritar "É campeão"
  • Ir mais ao estádio
  • Ver mais meus grandes amigos
  • Fumar menos
  • Comer menos
  • Perder uns quilos
  • Ler mais livros
  • Escrever mais
  • Ter um filho 
  • Viajar mais
  • Trabalhar muito
  • Ganhar algum dinheiro
  • Dormir mais durante a noite
  • Rir muito com a Sandra
  • Fazer todos rirem
  • Não bater em ninguém
  • Manter o controle sobre minhas palavras e ações.
  • E que as novelas sejam banidas da TV


Feliz ano novo a todos!!!

Good Vibrations!

Respeito; Passe adiante

Se alguém espera um texto leve e descontraído, leia esse. Caso contrário, aproveite.


Mais um dia no trabalho, muito mais calmo agora nesta semana pós-natal. Feijoada no almoço, fora é claro e um email comunicando um treinamento de uma ferramenta que usamos há 4 meses nova.
Reunidos em uma sala apertada com o ar condicionado refrigerando nossos pulmões, começa o bate-papo descontraído sobre os padrões e procedimentos da área. Com a supervisora A e a supervisora B que ia apenas assistir.
A primeira pergunta irritou a supervisora. A segunda gerou uma polêmica.
E ai veio a terceira, de um cara recém-chegado, let's call him R.
E ai pronto. Não vou dar detalhes sobre o assunto, porque é chato, porque meu trabalho é meio chato de explicar. Enfim...
A pergunta foi respondida e uma colega virou pro R e complementou a resposta da supervisora A . A supervisora B, que se destaca por uma educação ímpar fala alto do fundo da sala:
"-Ouviu o que a Supervisora disse R?"
e o R, meio assustado, responde: "Ouvi sim".
E a Supervisora B, com a atitude de uma professora de 4º série brada:
"Então repita".
E ai eu fechei os olhos pra não ver a cara do R, totalmente constrangido, assim como nós todos, em ver aquela cena.
Abri os olhos e a supervisora A me pergunta se está tudo bem?
Me neguei a responder. A sessão da tarde continua.
Outra pergunta. Lá vem mais gritos da Supervisora B, que minutos antes disse que "estavamos ali para conversar, não para criar um ringue". Deus...
Uma colega constrói uma frase digna de um Deputado: Tiririca.
"Não estava fazendo assim por que me passaram pra mim que era diferente." (Aplausos)
Segue o treinamento e mais uma pérola: "Ao invés de colocar medida em bolas de volei por exemplo, podem colocar que elas tem por exemplo, 10 diametros, 20 diametros, e assim vai."
Vai pra onde?
Fim de papo e eu dou uma desabafada básica com os colegas, falando que não suporto falta de educação, desrespeito e abuso de poder pequeno como diz minha senhora.
Meia hora depois a supervisora B quase toma o telefone da minha mão, enquanto eu falava com a minha mulher e grita ao meu ladinho: "Você falou que eu falei que...zzzzzzzz"
No alto da minha educação, eu disse: "Vamos conversar lá fora, porque eu não gosto de escândalo e nem de barraco".
O que se viu nesta sala foi a B descontrolada e eu em uma calma jamais vista nos meus 31 anos e dois dias. Minha família e a Sandra deveriam ter visto. Como dizia Simonal, "Que tranquilidade".
Na verdade o que eu queria mesmo era fazer como John Cusack na cena abaixo.



Depois dessa conversa agradável, vi que eu sou muito humano pra certas coisas e para dividir uma sala com pessoas desse tipo. Não foi a primeira vez e nem será a última, infelizmente. Ao menos desta vez, eu não sai como o descontrolado da história.
Envelhecer, amadurecer e agir de acordo com os princípios faz muito bem.

A propósito, eu não trabalho na escolinha do barulho, nem na malhação e nem estou no  BBB 11

Season's Greetings

Muita coisa aconteceu na última semana. Depois de voltar de uma conjuntivite que me afastou do trabalho por uma semana, a mais importante do ano, que claro, todos os "amigos" acharam que era migué voltei ao batente na segunda seguinte. na terça a grande notícia: Folga do dia 23 ao dia 28 de dezembro! Aí sim...

Na quarta a noite, sai com o Rafa e o Andre, amigos de muito tempo. Conheço o Rafa há 21 anos e o André, 13. Todo ano saímos pra fazer nosso "Rolê Natalino", indo á Av. Paulista, Pq do Ibirapuera e etc pra ver as luzes de Natal. Claro que é um pretexto pra gente se ver, rir até chorar e atualizar as conversas que não tivemos durante o ano. Curioso é que cada ano fica mais engraçado, mas também voltamos pra casa mais cedo. Balzaquianos....Damn..

A noite de Natal chegou e como todo ano, minha familia e a família do meu cunhado estavam presentes. Mas algumas coisas mudaram. O Natal foi na linda casa nova da minha irmã e desta vez, eu estava completamente feliz! Minha mulher e minha cachorra comigo. Não vou mencionar que a Sandra estava com uma gripe F.D.P e a Peggy, com seus 14 anos de idade, e morta de medo de fogos teve que ser sedada.
Ditado do dia: "Quem ama cuida!"
Meus presentes de Natal e Aniversário. Um tirou meu sono, o outro vai tirar em 2011

Dia 27/12 - Meu aniversário de 31 anos
Exatamente a meia noite, a minha família tem o costume de cumprimentar o aniversariante do novo dia. Desta vez, esperaram 4 minutos...Estavamos vendo o especial do Didi. Não riam...Ele era engraçado há 20 anos.
Todas as pessoas que eu certamente lembraria o aniversário me ligaram, as que não ligaram deram o subsídio que eu procurava pra não ligar de volta. Feio né? Mas é assim que funciona. Estou levando em consideração as tentativas, como a do meu amigo, irmão, homie e ídolo Robson (a.K.a Big Black Bastard) que me ligou dia 26 a noite, e que me fez uma singela homenagem atraves de seu genial blog, e os parabéns atrasados. Isso aí.

2011 vem aí, mas logo mais eu escrevo sobre isso.
Ainda tenho alguns assuntos a dividir com vocês, raros porém leais leitores.
See y'all soon


terça-feira, dezembro 14, 2010

O olho que nada vê

Terça, 8:01 - 72 horas depois de ser pego de surpresa por uma virose (se é que alguém é avisado antes) começo a sentir uma irritação maldita no olho esquerdo.
Olho no espelho e ele está completamente vermelho. Como terça eu entro mais tarde, por causa do rodízio do meu carro, passei algodão com soro gelado, esperando ser algum cisco, ou sei lá o que mais. Nada.

9:35h - Pedi a minha mãe que me levasse ao médico. Com toda a calma Nova Granadense que habita em nosso DNA ela me pergunta, como se não tivesse me visto com o algodão na cara o tempo todo:
-"Pra que?"

-"Tô com o olho fudido, tá doendo". - Respondo com a minha peculiar educação.
-"Deixa eu ver, arregala ele".
Eu abro o maldito com os dedos e ela, com a sensatez de um Dr. House, dá um puta assoprão no meu olho.
-"Passou?".
-Ô, vou trabalhar, agora sim.

10:03 - Pra não jogar minha mãe pela janela, sai pra trabalhar enxergando 60% dos 80% que normalmente eu enxergo. No meio do caminho até Jandira, uma chuva épica na Castello Branco. Não tive dúvida.
Liguei pro meu pai e disse:
-"Tô ficando cego na estrada. O que eu faço?"
-"Vem pra cá, filho e a gente vai no médico!"
Ótimo, se meu pai dirigisse e não morasse em Porto Feliz, apenas 66km de distância de onde eu estava.

10:44 - Cheguei na Comapanhia do Futuro, meu chefe me viu e disse:
-"Tá maluco? Onde você vai com esse olho assim? Corre no médico, é conjuntivite!".

10:46 - Voltei, Castello Branco parada por causa da puta chuva...
Liguei pra Thais, minha amiga, meio irmã, Fonoaudióloga, pra saber se ela conhecia uma clínica que tinha um Oftalmologista bom (pra mim sempre será oculista) pra me levar, porque não tava mais vendo porra nenhuma. Nada..

11:15 - Falei com a minha mulher e ela me deu o seguinte conselho:
-"Passa na farmácia perto da sua casa, pega algum remédio enquanto você não pode ir pro hospital. Conjuntivite fica dentro de você por alguns dias. Toma um remédio pra aliviar o incômodo, e a noite, sua mãe te leva no hospital que eles te darão um atestado, porque é contagioso. O duro é que no terceiro dia, provavelmente ela irá atacar o outro olho."

11:45 - Passei no Sr. Orlando, farmacêutico famoso no bairro, 60 anos de profissão, estudou com um dos Villas Boas e tal, que me disse:
-"Conjuntivite fica dentro de você por alguns dias. Toma um remédio pra aliviar o incômodo, e a noite, alguém te leva no hospital que eles te darão um atestado, porque é contagioso."
-"Seu Orlando, e o outro olho?"
-"Provavelmente vai ficar ruim em três dias."

Conclusão: Minha mulher poderia ser farmacêutica.
Conclusão 2: Tô fudido.
Conclusão 3: Vou me cuidar direito, mesmo com aflição de ver alguém se aproximar do olho humano. Se eu tivesse a aptidão musical do Ray Charles ou do Stevie Wonder, ela ja teria se manifestado antes dos 30. Não foi o caso.