quarta-feira, agosto 17, 2011

Seja você mesmo, mas não seja sempre o mesmo.



Essa semana reencontrei por acaso uma amiga da faculdade, a Juliana. Ela me disse que ia casar, com o cara que ela conheceu quando cursávamos o último ano. 6 anos depois, a Jú, que enchia a cara de Toddynho e pão de queijo comigo antes das aulas, vai entrar pro time das casadas. 
Ontem, o Pipo, talvez o cara mais injustiçado que trabalhou comigo no #CDC me contou que mudou de emprego. Agora está fazendo o que gosta em uma empresa que respeita e dá a estrutura para o funcionário desenvolver seu papel com tranquilidade, mas claro, cobrando resultados. Ele nunca teve a chance de mostrar o porque estava em nossa antiga empresa. Foi contratado para ser centroavante, mas só o escalaram de lateral esquerdo. Com todo o talento que ele tem, mas que infelizmente nunca foi notado no #CDC, ele vai longe. Ele e todos os que ainda estão lá e não seguiram meu conselho: Catho.
Minha irmã está esperando meu primeiro sobrinho, Gabriel. Ao ver o ultrassom no domingo, me coloquei a pensar que a vida da gente é mesmo como Chaplin descreveu, uma peça de teatro que não permite ensaios, e talvez por isso, estamos sempre no caminho do inesperado. Ver a alegria dos papais, dos avós e dos tio aqui é uma sensação inexplicável. No último dia dos pais, isso ficou ainda mais evidente, ao reunirmos a família toda e percebermos que todos nós estamos envelhecendo, juntos e unidos. 
Meu primo, Danilo, que há pouco tempo era um bebê, já tem, aos 11 anos, um blog sobre videogame. Maravilhas da inclusão digital? Quem sabe? A Mariana, que enquanto o Gabriel não chega é a bebêzinha da família, já tem seus quase 5 anos e é uma das crianças mais inteligentes que eu já conheci, e certamente, a mais hiperativa. Ainda mais agora com sua cachorra, Duda, a tiracolo.
Eu sou um caso a parte nessa história de mudanças. Mesmo com todas essas transformações nas vidas dos meus amigos e na da minha família, de longe, fui eu o que mais mudou nos últimos anos.
Há dois anos, exatamente no dia 29 de abril de 2009, meus pais estavam em Campos do Jordão e eu, sozinho em casa, me peguei pensando nas injustiças da vida, talvez ainda bravo com Deus por ele ter levado, de maneira brutal, meu primo e meu grande amigo Daniel, pouco mais de um mês atrás.
Já dizia Ferris Bueller, "a vida passa muito rápido". E passa mesmo, nesta época, aos 29, não conseguia imaginar um futuro pra mim. Hoje, aos 31, este passado parece que nem mesmo foi meu um dia. Se antes eu era o louco inconsequente, que achava que seria jovem para sempre e não ligava pro amanhã, por não fazer questão que ele chegasse, hoje, saboreio a vida em pequenos goles, tragos ou como queiram. Vivo cansado de tanto trabalhar mas muito feliz por ser o cara que passa no mercado na volta do trabalho pra levar as compras para a minha mulher fazer um jantar delicioso, mas que no outro dia acorda cedo para buscar a TV no conserto. Acho o máximo chegar em casa e ser recebido por 2 gatos e uma cachorra com uma alegria ímpar e por um abraço carinhoso e beijos cheios de amor. Divido com esta mulher, a minha San, alegrias e tristezas, piadas boas e ruins e sonhos, construídos em cima de muito amor e trabalho...
E eu trabalho, muito, de segunda a sexta, das 9 da manhã até XXXX com toda a alegria, disposição e energias boas que, em minha modesta opinião, ajudam a melhorar o clima no escritório. E a cada "bom dia crianças" que eu falo ao chegar no Groupon, fecho os olhos por alguns segundos para mandar boas energias para os amigos do #CDC que por dois anos ouviram esta frase todas as manhãs e que ajudaram, muito para que o cara de 2009 se transformasse no cara de 2011.
Na verdade esses caras dos livros de autoajuda tem razão: somos o que queremos ser. E eu quero ser, o cara de 2011, até que o de 2012 chegue!

Um abraço a todos que acreditam que a vida é um instrumento da nossa vontade, um carro em que você assume a direção que quiser. Especialmente para o Pipo, a Juliana, todos, sem exceção que fizeram da minha vida no #CDC muito mais fácil, aos novos amigos do Groupon e claro, à pessoa que hoje me dá as certezas que eu precisava para ser uma pessoa melhor. San..


Nenhum comentário: