terça-feira, outubro 18, 2011

More tea, your Majesty?





Mulher é um ser complicado....Isso é fato. E olha que hoje sou apenas um espectador da história, não vim falar da minha vida, embora argumentos não me faltem. As 3 heroínas que eu namorei nestes quase 32 anos eram as princesinhas do papai e por isso, minha missão era fazer de tudo pra que elas se sentissem bem cuidadas, e acho que não fui tão mal assim. Mas tô aqui pra contar a história do Roger, que, junto comigo, forma a dupla de "dinossauros" do Editorial Brazil Team do Groupon. Lá pelas 20h ele diz que precisa comprar um chá pra sua esposa, a Pri, e chama o único tonto que ele sabe que iria com ele. Obviamente a Pri, como toda mulher, só ficaria feliz se fosse o Chá Twinnings de Baunilha, Mel e Camomila. Se fosse um desses chás de saquinho Mate Leão, provavelmente ela faria um chá de dedo-de-roger. Antes de criticar a Pri, você, mulher que está lendo este texto, sabe que é assim que funciona, e você, homem, mais do que ninguém, sabe que o Roger não tinha opção. Então partimos da esquina da Brigadeiro com a Paulista e fomos ao Shopping Paulista, conversando, rindo e falando das coisas que vivemos em nossa geração e que os homens de hoje nem tem noção.
Gabaritamos o shopping e nada, próxima parada, Extra Brigadeiro. Lá tinha tudo: travesseiro, chá de boldo, chá de sene, chá de chifre de unicórnio, menos a porra do chá da Pri. Próxima parada, Pão de Açúcar da Casa de Campo do Caralho Alameda Santos mais 2 km. Pra vocês pode não ser muita coisa, mas pra dois caras sedentários como nós, parecíamos a velha do quarto andar que mora no prédio do escritório (sério, mora uma velha lá).
Chegando lá, paramos em frente a prateleira dos chás (ia falar gôndola, mas já tava indo comprar chá com um amigo..Gay Enough) vimos uns 5000 tipos de chá, menos o chá da Pri. Ele comprou um parecido e mais um de Canela e Especiarias (sério, onde foram parar os chás que eu tomava?) eu comprei uma cervejinha...
Sentados na calçada enquanto eu bebia minha cerveja na paulista, começamos a conversar sobre essas coisas. Mulheres, relacionamentos e afins. O Roger tá com a Pri há 13 anos e fala dela como se fosse a primeira semana. Falando com ele, entendi mais do que pelas palavras o porque de tanta caminhada sem reclamar. Rimos quando pensamos que alguém pode preferir a vida de solteiro à de casado, ou comprometido. A graça disso tudo é saber que amanhã o chá talvez esfrie na caneca da Pri, mas que o mais importante é a cara dela ao ver o chá na caixinha, mesmo não sendo o que ela queria. Quando a gente ama, fazemos o que não faríamos para nós mesmos, mas não deixamos de fazer pela pessoa que nos recebe com um beijo, um abraço, que nos ouve e cuida da gente como a gente sempre quis.
Eu e a San, mesmo separados, nos falamos diariamente. Ao contar essa história, ouvi uma risadinha e um "Que garota de sorte!". Eu fiquei quieto e pensei nas vezes que eu saí a busca por temakis, barras de chocolate meio amargo com gotas de laranja (isso existe mesmo, na Cacau Show), aspiradores de pó. E retruquei, "Poxa, e você não teve sorte?" ela, sem pestanejar "To esperando minha Melissinha desde março"
Roger, se prepara, essa semana vamos atrás da porra da Melissinha da Sandra!



4 comentários:

Gui Crespo disse...

KKK mto bom post, Mr. Polisson.... A graça dos relacionamentos é justamente essa. Não temos outra opção a não ser agradarmos sempre... Pelo menos você teve a oportunidade de ter uma história engraçada para passar ao lado do Roger, e uma cobrança mais que engraçada (e justa) da Melissinha da San.... rs.... Abraços!

Léo disse...

Não sei se é justa..rsrsrs...E o senhor cuide direito da sua China Girl. Não se acomode comendo comida chinesa em casa. Leve-a no Lig Lig, pelo menos!!rsrsrs
Valeu, man!

Helena Novais disse...

Mulher é tão fácil de entender! É que os homens procuram resposta do simples imaginando um complicado e daí vira uma complicação só... hehehehehe

Léo disse...

Voce que pensa Helena...rsrsrs...Para evitar discussões, digamos que é uma questão de ponto de vista!