sexta-feira, agosto 23, 2013

Vai, Wendel


Wendel é um jogador do Palmeiras. Acho. Ele está no Palmeiras, mas, acho que não joga desde março. Wendel é esforçado, aceitou reduzir seu salário pra jogar no verdão. Mas, jogar, de fato, isso ele  não tem feito. Quando muito, fica no banco de reservas, mas não chega nem a aquecer. Mas assim como os Palmeirenses, ele ama o time. E acho que ama mesmo...
Mas o Wendel é muito ruim. Muito mesmo.
Agora que vocês sabem que ele é, vou explicar a importância dele na história que vivi ontem no Estádio do Pacaembu. 
Depois de uma jogada horrorosa do Luis Felipe, o Daniel, que trabalha comigo, gritou, brincando: "Põe o Wendel, porra!"
Daí que um gordo saiu xingando a gente, falando que a gente era filho da puta, que não levávamos o time a sério, porque "o Wendel é tão merda, que nem a mãe dele pode pedir pra botarem ele no jogo".
Começamos a rir, achando que o gordo tava brincando, eis que ele aponta e diz, "vocês mesmo, filhos da puta".
Aí entra o outro imbecil da história o Vovô Garoto. Manja esses velhos que não aceitam muito bem a idade? Então. Boné pra trás escondendo seu cabelo branco e ralo, jaqueta apertadinha, Nike Shox e gírias como "não viaja", "tá ligado" e "demorou". 
Este velho ridículo vira pra gente e solta a seguinte pérola: "Vocês falam merda e tem mais é que serem xingados. Não gostaram xinguem de volta."
Educadamente, me dirijo a ele e digo: "Senhor, agora temos que escolher como vamos brincar?"
"Claro! Pedir Wendel? Voces são idiotas?"
Já com um pouco menos de paciência, respondi: "Abaixa a porra da voz, babaca do caralho".
Aí ele se acalmou e voltamos a ver o jogo. Palmeiras ganhou, o Wendel não entrou e tudo deu certo.
Mas porque eu estou falando disso? 
Sempre me perguntei como torcedores do mesmo time conseguem brigar entre si no estádio.
Se não fosse o Wendel, jamais aprenderia isso.
Obrigado, Wendel!




Um comentário:

Helena disse...

Te entendo... Mas me identifiquei imensamente com o "velho que não aceita bem a idade". Vou me tornar uma velha igual a ele. Afinal, porque aceitar o estereótipo do "velho", o papel que outros querem que a gente interprete? Sou coração! :)