quarta-feira, abril 16, 2014

Fé...






Há 34 anos eu falo com Deus todos os dias. Não vou à igreja, não sigo nenhuma doutrina, não tenho nenhum costume religioso. Fui criado em uma família muito católica, em um colégio católico, mas nenhuma religião foi tão importante quanto a fé que eu tenho em Deus. Sempre conversamos numa boa, nunca precisamos de intermediários. Só nós dois.
Já fiquei bravo com ele, confesso. Mas Ele também já deve ter se perguntado "onde foi que eu errei?". Já fiz muita merda, coisas que só Ele sabe. E sempre estivemos juntos, ainda que eu não goste de falar muito sobre isso. 
Abril tem sido um mês pesado, muita coisa dolorida aconteceu. A maioria delas eu escrevi aqui. Outras, não consegui escrever. 
Todos os dias procurei a ajuda Dele. 
Sábado, quando ainda pensava no Rico, recebi mais uma notícia triste, daquelas que doem na alma. Senti a dor de um amigo, que perdera uma pessoa especial. Quando consegui dormir, o sol já tinha acordado. 
Falei com Deus de novo, mas eu precisava de mais.
No final da noite, ainda angustiado e obviamente cansado pelas poucas horas de sono, fui convidado pela minha segunda família a fazer uma oração. 
Eu, que nunca consegui me conectar com Deus sem que estivesse sozinho, confesso, estava com medo de não conseguir novamente. De me distrair com as pessoas ao redor, como sempre foi. Mas eu queria tentar. Eu precisava tentar.
Já de joelhos, ouvia as palavras do meu sogro, que fazia suas preces. No início, aquele medo de não me conectar parecia se tornar real. Sentia dores nos joelhos, ouvia os carros na rua, a respiração do cachorro. Aos poucos, tudo isso foi sumindo. Não vou descrever o que aconteceu depois. Algumas experiências só fazem sentido em nosso coração, em nossa alma. E seja ela qual for, deve ser respeitada.
Não sei se minhas convicções irão mudar, se vou passar a seguir alguma religião, ir à igreja. Hoje, só posso garantir o seguinte:
Há 34 anos, eu falo com Deus todos os dias. Não vou à igreja, não sigo mais nenhuma doutrina, não tenho nenhum costume religioso. 
Domingo, Deus falou comigo de um jeito diferente. 



Nenhum comentário: