terça-feira, maio 27, 2014

Deu certo?



Dentre as milhões de esquisitices que eu carrego comigo, não experimentar roupas é uma das maiores. Aí nego pensa: "isso é coisa de gordo". Nada a ver. Mesmo porque gordo só precisa pedir o tamanho máximo e isso vem do tempo que eu pesava 90kg bem distribuídos em 1.91cm.
Apesar de muita gente não acreditar, eu sou terrivelmente tímido, característica que me impede de pedir pizza no telefone. 
Mas voltemos ao negócio das roupas. Não sei bem o motivo, mas talvez seja o fato de eu ter pena de fazer o vendedor pegar um monte de coisa e as vezes não levar nada. Fico com medo de passar a ser vítima de alguma maldição da parte deles.
Além disso odeio aquelas situações em que você entra no provador, muitas vezes pequeno para o meu tamanho e ouve aquelas perguntas enquanto está seminu:
- Como você chama?
- Ficou bom?
- Deu certo?
A última vez em que fui obrigado a experimentar uma roupa, passei uma das situações mais embaraçosas da minha vida. Fui na Black Tie, na avenida Rebouças, uma das mais conceituadas de São Paulo. Entrei no provador minúsculo, tirei as roupas, pendurei naquele gancho onde apenas meias podem ser penduradas e comecei a me vestir; camisa, paleto, a perna direita da calça e, ao levantar a esquerda, perdi o equilíbrio e como um saci albino fui pulando com uma perna só para não cair. Acabei saindo do provador diretamente para a sala onde a família do noivo aguardava.
Como já não me restava dignidade alguma, apoiei no vendedor, vesti a calça e falei: "ficou bom".
Sempre tenho um personagem quando saio para comprar roupas. Sou um cara legal que sempre vai comprar roupas para o irmão mais novo. Na última vez, até minha mãe estava junto, inconformada com minha atuação e se sentindo mãe de mais um garoto. 
Sim, eu sempre conto a mesma história, mas nunca vou à mesma loja.
Porque?
Eu me chamo Leonardo, tenho 34 anos e não experimento roupas. Julguem à vontade.


Nenhum comentário: