segunda-feira, agosto 11, 2014

Bom dia, Vietnã. Até mais, Mr. Keating


No final dos anos 80, assisti um filme com Robin Willians (que até então, pra mim, era o Popeye do filme) que me chamou muita atenção. Eu já era um apaixonado pelo rádio, ouvia notícias de esportes com meu pai antes de dormir e ficava maravilhado com a imaginação que aquela caixinha preta despertava. Eu devia ter uns 10 anos quando assisti "Bom dia, Vietnã", provavelmente no Supercine (que era muito bom naquela época) e ficava imaginando como deveria ser legal fazer as pessoas esquecerem os problemas, como estar em uma guerra, através do rádio. 

Nunca me esqueci do "Goooooooooood morning, Vietnaaaaan" no início de cada transmissão e de suas imitações. A cena com a música "What a Wonderful World", de Louis Armstrong é uma das minhas preferidas da história do cinema. A tristeza da guerra, contrasta com a beleza da música e a mensagem de esperança que ela tenta passar que, apesar de tudo, o mundo é maravilhoso.
Nunca esqueci este filme, nem Robin Williams, nem 'Jack" e "Hook". Estes são meus filmes preferidos desse gênio da comédia que se foi hoje, aos 63 anos. Ao que parece, a causa da morte foi suicídio...
Aí chega a hora em que sua cabeça explode por não entender como uma pessoa que encheu você de esperança durante sua infância e adolescência acabou perdendo a esperança na própria vida e se suicidou.
Prefiro lembrar do cara que foi o DJ Adrian Cronauer levava alegria aos soldados no Vietnã. John Keating, o professor apaixonado pelos alunos e pela vida. O cara que foi Peter Banning, o Peter Pan que descobriu que ainda podia voar, mesmo depois dos 40 ou o garoto Jack Powell, que envelhecia rápido demais...
Para quem não lembra ou nunca viu a cena citada acima, vejam abaixo.




Obrigado, Robin. Oh, Captain, my captain...


Nenhum comentário: